Uma experiência inesquecível

Uma experiência inesquecível

O IV Rock Pela Vida de São Paulo ficará para a história como o evento do clamor a Deus.

Primeiramente, a quantidade de bandas previstas no line-up foi menor, possibilitando mais tempo de apresentação para cada banda. Nessa edição, pudemos contar com The Cross, Pátria Celeste, Sancti e Voz Eterna.

As atrações já geravam bastante expectativa pelas particularidades de cada uma. The Cross tem como baterista o Matheus Lopes, ex-Ceremonya, que vem abrilhantar ainda mais a atual banda. Pátria Celeste vem à capital mostrar que o interior também faz rock’n roll com um punk rock / hardcore de respeito. Sancti faz em São Paulo a sua primeira apresentação após o lançamento do álbum Sempre. Por fim, Voz Eterna, que vem de Brasília trazendo uma sonoridade nova em seu recém-lançado álbum Um Novo Dia.

O tempo, durante o dia na capital paulista, estava nublado, com sol e algumas chuvas isoladas. Esperava-se que à noite estivesse mais tranquilo para o público apreciar cada apresentação sem dificuldades ou preocupações com a volta para casa. Pouco antes do início, somos agraciados com um leve chuvisco que se manteve sereno durante o evento.

Banda The Cross

O Rock Pela Vida começou às 19h com a banda The Cross, que ganhou a empatia do público já na primeira música. Após algumas canções, ocorreu algo inesperado: a energia acaba. Mesmo no escuro, apenas com a iluminação de emergência, a banda prossegue cantando só no violão até por volta de 20h. 

A próxima banda a se apresentar seria a Pátria Celeste, mas isso ficou um pouco complicado sem energia. Diante da situação, a Débora e alguns membros das bandas presentes começaram tocar diversas músicas aguardando o retorno da luz. 

Percebi o agir de Deus ali, na hora que me vi tocando violão meia boca pra caras que eu admiro muito, só tinha guitarrista cabuloso na minha frente kkkk.

Wellington Lelis, guitarrista da banda Pátria Celeste

Passados vários minutos no escuro, João Grangeiro, baterista da banda Século I e proprietário do PUB G5, toma a palavra e dá início a uma reflexão que faz todos os presentes a pensar sobre os pilares que sustentam o Rock Pela Vida: Oração, Caridade e Rock. As palavras do João evidenciaram que a Oração, pilar que norteia os demais pilares, estava sendo negligenciada e ainda não tínhamos dado a devida importância. 

Começa então um clamor onde as bandas se entregam diante do Senhor pedindo a Sua misericórdia e se colocando como canais da ação dEle. Após algumas orações, prosseguimos com a oração do Santo Terço, tornando a noite de shows em vigília. Por volta das 22h, ainda no meio do terço, a energia retorna e finalizamos as orações agradecendo pelos momentos que tivemos a oportunidade de presenciar. Apesar do horário já avançado, ainda tivemos a chance de assistir às apresentações reduzidas das demais bandas.

Pátria Celeste

A banda Pátria Celeste já tinha se ajeitado no palco durante o apagão e deu início à retomada dos shows. Para uma banda que estava pulando conosco ao som de The Cross, subir ao palco foi a continuação da festa. E que festa! 

Sancti

A próxima banda a se apresentar é a Sancti, que acabou de lançar o disco Sempre e faz o segundo show com o novo vocalista e produtor Neno Fernando. Para quem curte um bom Hard Rock, essa foi a melhor pedida da noite. Os caras fizeram um show impecável e bem entrosado mesmo com um integrante novo à frente. 

Por fim, entra em cena a última banda da noite: Voz Eterna. Para quem ainda não conhece, a banda brasiliense lançou recentemente o disco Um Novo Dia e veio de Brasília exclusivamente para esse show. Na terça-feira da semana anterior ao evento, o baterista da banda se acidentou e não poderia tocar e o Vinícius Picolli da banda Testemunha foi convidado para substituí-lo na batera a 3 dias do evento. Missão dada, missão cumprida. Ele conseguiu a façanha de tirar as músicas e tocar no click sem nenhum ensaio. 

Voz Eterna e Vinícius Picolli (bateria)

Para não soar incoerente por ser membro da banda, vou colocar aqui as manifestações recebidas no grupo do Rock Pela Vida sobre o show:

Eu ainda estou processando tudo!

Meu Deus que experiência maravilhosa tivemos ontem

Foi o melhor RPV de todos

Todas as Bandas arregaçaram

Mas fiquei impressionada com os meninos do Voz Eterna

Debs Soares

O Jean Tavares estava acompanhando tudo de Curitiba já se adiantou e pediu:

Quero #VozEternaEmCuritiba

só em vídeo ja da pra sentir a energia desses caras

imagina ao vivo

Jean Tavares, banda Ash Fall

Por fim, a noite de 24 de novembro de 2018 ficará marcada para a história do Rock Pela Vida como uma noite memorável, onde pudemos ver a união de vários roqueiros em prol de uma coisa só: oração. O show tornou-se vigília e pudemos concluir com as apresentações reduzidas mas cheias de gratidão pela ação de Deus conosco.

Ps.: A primeira foto e a imagem destaque desse post apresentam o Ratão, batera da banda Voz Eterna, tocando no evento. Ele se acidentou com a quebra de um blindex no trabalho e teve 5 pontos no dedo polegar esquerdo. A orientação médica era de repouso por 10 dias, mas isso não o impediu de comparecer ao evento e nem de tocar algumas músicas conosco. Alguns o chamaram de louco, mas percebemos aí também a ação de Deus na recuperação dele.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *